Segunda-feira, 20 de Julho de 2009

"Esmeralda" por Maria V. - Continuação

Olá...

Bem, vou postar a continuação de uma história que já não parava aqui há muito tempo, é a fantástica história da Maria...

Esperemos que gostem, e comentários são agradecidos... 

 

 
Capítulo 3
 
Primeira Vista
 

Olívia agarrou-me com força, enquanto eu escondia o rosto no seu peito, e chorava e implorava que ela me levasse dali.

Estávamos junto à estrada, sentadas no passeio e eu sentia todos os olhares incrédulos fixos em mim, muito pior que isso, sentia que algumas pessoas soltavam breves risinhos ao observarem o meu sofrimento.

- Oh por favor, leva-me daqui! – implorei a Olívia. E o choro continuou, agora mais intenso, incontrolável, impedindo-me quase de respirar.

- Emme querida, acalma-te. O que aconteceu? – perguntou preocupada enquanto eu molhava o seu lindo vestido azul.

Porém não lhe consegui responder. Naquele momento sentia vergonha do que tinha feito. Toda a minha vida tinha sido treinada para aquilo. Sabia que um dia teria de acontecer. Mais tarde ou mais cedo teria que fazer este exame, e mesmo assim o pesadelo não acabaria quando o fizesse. Teria que continuar a treinar durante mais dois anos, até estar pronta para receber os meus poderes. Mas será que algum dia iria estar preparada? Hoje. Hoje deveria ter estado. Mas algo dentro de mim, no mais fundo da minha consciência me dizia que era errado, que aquele não era o meu caminho - que aquele não era o meu verdadeiro destino.

O exame de hoje, tal como todos os outros era apenas uma fantasia – para mim demasiado pavorosa. O anjo não existia, e tudo não teria passado de uma simulação. E mesmo assim, mesmo sabendo tudo isto, não fui capaz de o destruir. Se não estava preparada para uma ilusão, como estaria preparada para aquilo que me esperava? Jamais estaria preparada quando o mundo real viesse ter comigo. A guerra com a Luz era tudo o que eu mais temia e por mais que tentasse convencer-me a mim mesma do contrário, sabia, melhor do que ninguém que não seria capaz de destruí-la.

Ficamos sentadas no passeio frio e humedecido durante um longo momento. A minha melhor amiga embalava-me no seu colo, e ali, nos seus braços eu sentia-me mais protegida do mundo.

- Chuu Emme, chuu – sussurrou para tentar acalmar-me. Tentei responder-lhe, pronunciando uma palavra que fosse, mas tinha algo entalado na garganta que me impedia de falar.

Permanecemos assim, até o batimento acelerado do meu coração abrandar. E por fim, quando o meu choro terminou eu consegui dizer algo que supostamente deveria ter sido uma pergunta. As palavras não chegaram para tanto.

- Casa? – pedi.

 

 

Continua...

publicado por Diana às 22:39

link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De Priscila a 20 de Julho de 2009 às 23:56
Olá! =)

Para não variar gostei imenso deste excerto da Maria, que tem vindo sempre a corresponder às minhas expectativas. A história e o enredo mantêm-se interessantes. Continua assim ;) Parabéns!


*****
De sibyl duerr a 21 de Julho de 2009 às 22:59
Olá, olha eu ja fiz o layout para o blog. Tive de proceder a algumas alterações, se não estiver do teu agrado diz :D

Comentar post